Reformado, Ecoponto do Pq. Olímpico será reaberto sexta, 12, com nova configuração

 

DE MOGI DAS CRUZES – Inaugurado em 2011 – e fechado no dia 10 de dezembro de 2018 para reforma, após ser vítima de uma série de atos de vandalismo (furtos de material, invasões, incêndios e depredação) – o Ecoponto do Parque Olímpico, no distrito de Brás Cubas, será reinaugurado nesta sexta-feira (12/07), às 10 horas. Localizado na Avenida Archimedes Carlos Munford, 2, o equipamento foi reformado com materiais e mão-de-obra da Prefeitura e recebeu uma nova configuração, que segue o projeto do Ecoponto de Jundiapeba, que entrou em operação em 2017.

Esta nova concepção inclui uma baia de concreto, que facilita o descarte dos materiais nas caçambas. O ecoponto também conta com nova cerca, sala administrativa, banheiro, área gramada e espaço para entrada e saída de caminhões. Com a reinauguração, Mogi das Cruzes passa a contar com três ecopontos, instalados no Jardim Armênia, Jundiapeba e Parque Olímpico. Eles funcionam de segunda a sábado, das 8h às 18h.

Os ecopontos recebem pneus, entulho de construção, madeira, móveis usados e eletrônicos. Os resíduos vão para a Usina de Triagem da Vila São Francisco, onde a cooperativa Cata-Sampa atua com catadores cadastrados, dando o destino correto a cada tipo de material. A usina é equipada com esteira para separação de materiais, além de alojamento e sanitários.

O secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Daniel Teixeira de Lima, explica que os ecopontos fazem parte de toda uma estrutura de coleta seletiva existente na cidade. O Programa Recicla + Mogi, por exemplo, foi implantado em Mogi das Cruzes em 2013 e assegurou o aumento gradativo do volume de materiais reciclados, passando de 0,5% no início do projeto para 5% atualmente. Hoje os bairros são atendidos três vezes por semana pelo programa.

Além disso, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos mantém o Cata-Tranqueira, que percorre semanalmente regiões específicas da cidade, recolhendo materiais sem uso pela população. A iniciativa assegura a destinação correta desses objetivo, evitando descartes em terrenos e córregos, por exemplo.

“O processo de aumento nos índices de coleta seletiva é gradativo e cabe ao poder público oferecer ferramentas para que a população possa incorporar esse hábito ao seu cotidiano. Os ecopontos fazem parte deste conjunto de iniciaivas, assim como a coleta seletiva do Recicla + Mogi e o Cata-Tranqueira, assim como campanhas educativas e de conscientização”, afirmou o secretário