Ambulância da Santa Casa de Guararema é flagrada carregando fardos de cerveja. Hospital “justifica” bebida era barraca pró hospital em festa

 

PAULO QUARESMA – DO CORREIO INDEPENDENTE – Deu muito o que falar a repercussão de um vídeo feito por populares que flagraram uma ambulância da Santa Casa de Guararema – uma das cidades do Alto Tietê, região que ocupa a porção leste da Grande São Paulo – carregando diversos fardos de bebidas alcoólicas.

A ambulância carregava os fardos na porta do Mercadinho Barão, na Praça 9 de Julho, em Guararema.

O flagrante em vídeo do veículo sendo carregado com cerveja foi feito no sábado (28/09) e chegou ao conhecimento do diretor da unidade de saúde, José Luís Eroles Freire, na manhã do dia seguinte, domingo.

O vídeo, postado nas redes sociais (assista mais abaixo), viralizou rapidamente e foi parar em emissoras de televisão da Capital, como na Band.

O hospital reconheceu a ambulância como sendo sua, e o diretor Eroles Freire tentou justificar. Para o CORREIO INDEPENDENTE, ele contou o mesmo que havia dito a outros veículos de comunicação. “A Santa Casa era responsável por uma barraca de bebidas em uma festa beneficente no fim de semana, mas reconheço que isso foi um erro”, disse.

A festa a qual se referiu o diretor da Santa Casa foi realizada no Parateí, bairro de Guararema que fica do lado esquerdo da Rodovia Presidente Dutra (sentido Vale do Paraíba). A distância do local do evento até o hospital é de cerca de 30 quilômetros.

Eroles Freire disse ainda que essa ambulância estava na festa, e levou uma pessoa que passou mal até a Santa Casa, e alguém da barraca pediu que aproveitasse para transportar as cervejas na volta”.

O diretor garantiu, ainda, que foi feita uma higienização na ambulância após o transporte das bebidas e antes que o veículo voltasse à festa para permanecer de prontidão. E afirmou que a Santa Casa abriu um procedimento administrativo para apurar o caso.

Críticas

Não faltaram críticas ao conteúdo do vídeo. Pelo Facebook, Tiago Cardoso não poupou críticas. “É um descaso com a saúde mesmo. Um absurdo usarem uma ambulância para transportar bebidas alcoólicas. Só em Guararema pra gente ver uma patifaria dessas”, disse.

Ele também coloca em xeque o sistema de câmeras da cidade. “Engraçado que isso o sistema de monitoramento da cidade não vigia, não é?”, pergunta. Cardoso ainda cita um dado interessante que ocorre com um carro oficial de socorro de pessoas. “Se o motorista ligar a sirene, ninguém vai saber o que tem dentro da ambulância e ainda vai abrir passagem. É ridículo isso”.