Comerciantes de B. Cubas e Jd. Santista farão reunião sobre estacionamento

 

DE MOGI DAS CRUZES – A ACMC – Associação Comercial de Mogi das Cruzes convoca os proprietários de estabelecimentos instalados em Braz Cubas (Centro) e no Jardim Santista para uma reunião na próxima terça-feira (13), às 10 horas, que vai discutir as mudanças no estacionamento controlado e, principalmente, a proposta de ampliação de vagas rotativas nestas duas regiões da cidade.

No encontro, que será na sede da ACMC (Rua Barão de Jaceguai, 674 – Centro), os técnicos da Secretaria Municipal de Transportes irão detalhar as alterações no sistema de estacionamento controlado e apresentar as vias cotadas para receber vagas rotativas (pagas).

“É fundamental que os comerciantes de Braz Cubas e do Jardim Santista participem dessa reunião, opinem sobre as propostas que serão apresentadas e contribuam com sugestões para assegurar que o sistema de estacionamento seja eficiente para que a atividade empresarial não seja prejudicada”, ressalta Roberto Assi, diretor da ACMC.

Desde abril, quando foi apresentado o novo contrato assinado pela Prefeitura com a empresa HoraPark, responsável pelo estacionamento controlado, a ACMC tem discutido as propostas de ampliação de vagas rotativas. As convocações para essa reunião de terça começaram há um mês, com um esforço para conscientizar o comerciante da importância dele participar.

“As decisões da Prefeitura sobre os locais que terão vagas rotativas e o modelo de funcionamento levarão em conta as opiniões dos comerciantes dadas neste momento, por isso, é fundamental a participação nesta terça”, apela o diretor Assi.

 

Segunda convocação

No próximo dia 20, a ACMC promove uma segunda reunião sobre estacionamento, para a qual são convocados os proprietários de estabelecimentos do Centro, Mogilar, Jardim Esplanada, Parque Monte Líbano e Centro Cívico.

O encontro será também às 10 horas, na sede da ACMC, com foco exclusivo na ampliação de vagas rotativas nessas cinco regiões da cidade.

“Dividimos em duas reuniões porque são muito bairros e para que os comerciantes possam conhecer detalhadamente as propostas”, explica o diretor da ACMC.

Após os encontros, a Associação Comercial apresentará os resultados das opiniões dos comerciantes.