Escolas não-reguladas poderão abrir em horários diferenciados

Medida passa a valer a esse tipo de escola a partir da próxima segunda-feira, 27, em Mogi das Cruzes

 

DE MOGI DAS CRUZES – A partir da próxima segunda-feira (27/07), as escolas não-reguladas de Mogi das Cruzes poderão funcionar em horários diferenciados, desde que cumpram as seis horas diárias de funcionamento determinadas para o setor de serviços na fase 3 – Amarela do Plano São Paulo, do Governo Estadual. A medida foi definida em reunião realizada, por meio de videoconferência, na tarde desta quarta-feira (22/07) entre o Comitê Gestor de Retomada Gradativa das Atividades Econômicas, a Comissão Especial de Vereadores para a Retomada Econômica e representantes das escolas não-reguladas, o que compreende escolas de idiomas, escolas de formação de dança, música e cursos livres.

A medida considera que estes estabelecimentos atendem poucos alunos por turma em dias alternados e em horários fora do período de pico. “O Comitê tem mantido um diálogo aberto com todos os setores para entender as peculiaridades de cada segmento. Diante deste cenário, foi aberta a possibilidade de que as escolas não-reguladas definam seus horários de atendimento dentro das seis horas diárias previstas para o setor de serviços, o que será informado e formalizado por cada escola, e enviado aos setores responsáveis pela fiscalização, dando transparência ao processo de funcionamento”, explicou o vice-prefeito Juliano Abe, responsável pelo Comitê.

Embora o setor tenha sido enquadrado como serviços pelo Governo do Estado, os estabelecimentos devem seguir os mesmos protocolos sanitários da educação regulada. O funcionamento deverá ser com até 40% da capacidade de cada estabelecimento, a entrada e saída devem ser organizadas para evitar aglomeração e devem ser respeitados os intervalos com o revezamento de turmas, além do cumprimento do distanciamento de 1,5 metro e as medidas de higiene e sanitização dos espaços.

O diretor do Senai de Mogi das Cruzes, Itamar Rodrigues Cruz, compartilhou o trabalho feito pela instituição e elogiou a condução de todo o processo de retomada gradual da economia realizada pela Prefeitura com os estabelecimentos. “É um alto nível de bom senso da Prefeitura de Mogi das Cruzes analisar essa questão. Fiquei muito feliz com a decisão de compartilhar com as empresas”, observou.

O funcionamento deverá ser com até 40% da capacidade de cada estabelecimento, a entrada e saída devem ser organizadas para evitar aglomeração e devem ser respeitados os intervalos com o revezamento de turmas, além do cumprimento do distanciamento de 1,5 metro e as medidas de higiene e sanitização dos espaços.

O cadastro do horário de funcionamento será feito por meio de um link disponível na página Flexibilização da Quarentena da Prefeitura de Mogi das Cruzes a partir deste sábado (25/07). Os estabelecimentos também têm acesso ao curso online gratuito de prevenção ao coronavírus, trazendo mais segurança para colaboradores e alunos. “É importante darmos uma diretriz para os empresários. Diante deste momento, é importante que todos entendam os protocolos e fazer com que todos estejam inseridos no processo”, disse o vereador Marcos Furlan, presidente da CEV de Retomada Econômica.

Participaram da reunião o vereador Pedro Komura, os secretários municipais de Desenvolvimento Econômico e Social, Simei Baldani e de Governo, Marco Soares e o diretor de Novos Negócios da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, que integram o Comitê; Débora Santos, chefe de divisão do Departamento de Vigilância em Saúde, o presidente da Associação Comercial de Mogi das Cruzes, Marco Zatsuga, o presidente Sincomércio, Valterli Martinez e o gerente regional do Sebrae-SP, Sérgio Gromik.

Foto: Guilherme Berti /PMMC