10 dicas sobre a Black Friday

 

Acontecerá mais uma edição brasileira da “Black Friday”, evento em que diversos estabelecimentos prometem grandes descontos aos consumidores, confira algumas dicas:

 

  1. Faça uma lista do produto que precisa ou deseja e estipule um limite de gasto (para não estourar o orçamento).

 

  1. Acompanhe a evolução dos preços dos produtos/serviços que deseja adquirir, anote preços e guarde as informações da sua pesquisa (telas, folhetos), incluindo site e data da pesquisa. Assim será mais fácil identificar as melhores ofertas e conferir os descontos durante a “Black Friday”.

 

  1. Verifique se o site é brasileiro. Compras de sites internacionais estão sujeitas a outros custos nem sempre informados ostensivamente (procure informações sobre o site na aba “Quem somos/sobre nós”). Além disso, as regras do Código de Defesa do Consumidor não se aplicam se o site não possuir representantes no Brasil.

 

  1. Fique atento aos sites que estampam ofertas de fornecedores independentes (market place), com preços e condições diferentes para um mesmo produto. O nome do fornecedor e os preços praticados devem estar sempre em destaque e com fácil visualização na página de venda, especialmente se o revendedor for um terceiro. É direito do consumidor ter essa informação à disposição para facilitar sua pesquisa e escolha.

 

  1. Após escolher o produto no site, verifique se o preço será alterado no carrinho virtual ou se o valor do frete é muito mais alto que o habitual, pois esses problemas poderão ser denunciados no Procon-SP, bem como falsos descontos, quando a empresa afirma que o produto está em promoção, mas na verdade aumentou o preço.

 

  1. Observe o prazo de entrega, especialmente se o objetivo é comprar presentes para o Natal.

 

  1. Saiba que o consumidor tem 7 dias a partir da compra/entrega para “se arrepender”, cancelar a compra, devolver o produto e pedir o dinheiro de volta, se a compra for feita a distância (internet ou telefone) – o prazo passa a contar da data da compra ou da entrega do produto.

 

  1. Informe-se antecipadamente sobre a política de trocas da empresa e a política de privacidade dos dados pessoais e financeiros do consumidor.

 

  1. Consulte a lista de sites não recomendados – fazem parte da relação empresas que recebem reclamações e não encontradas, ou não respondem as notificações do Procon-SP, impossibilitando a atuação do órgão.

 

  1. Cuidado ao clicar em links e ofertas recebidas por e-mail ou redes sociais. Consulte sempre a página oficial da loja, de preferência digitando o endereço do site.

Dori Boucault, Advogado Especialista em Direito do Consumidor do Escritório LTSA Advogados e Presidente da Comissão do Consumidor da OAB de Mogi das Cruzes

Fonte: Fundação Procon-SP